Atravessa a cozinha um rio profundo

09.03.2020

 

Fechamos este cántico comum de vozes femininas - Vox Femina -  da mesma forma como foi aberto, com um poema. Letras que cantam. Desta vez, quem fala é uma brasileira, Adélia Prado. Lírica, quase bíblica, existencial, nos leva ao interior de um lar e devela para nós a essência do feminino. A cozinha é o palco e a esposa é a protagonista: se levanta, escama, abre, retalha, salga. Por trás de esse trabalho inglório - limpar peixes - se esconde o mistério da acolhida. Ele, o esposo, esta junto, "os cotovelos se esbarram". Pouco a pouco, como dom precioso acontece o milagre: "o silêncio de quando nos vimos a primeira vez atravessa a cozinha como um rio profundo". Os peixes ficam prontos na travessa. Logo, na alcova "somos noivo e noiva". O maravilhoso acontece a partir do quotidiano, o belo nasce do coração de uma mulher.

 

Casamento

 

Há mulheres que dizem: 
Meu marido, se quiser pescar, pesque, 
mas que limpe os peixes. 
Eu não. A qualquer hora da noite me levanto, 
ajudo a escamar, abrir, retalhar e salgar. 
É tão bom, só a gente sozinhos na cozinha, 
de vez em quando os cotovelos se esbarram, 
ele fala coisas como "este foi difícil" 
"prateou no ar dando rabanadas" 
e faz o gesto com a mão.

O silêncio de quando nos vimos a primeira vez 
atravessa a cozinha como um rio profundo. 
Por fim, os peixes na travessa, 
vamos dormir. 

Coisas prateadas espocam: 
somos noivo e noiva.

 

[ D'Vox ]

___

Adélia Prado, brasileira, poetisa, esposa e mãe de família, formada em filosofía, Prêmio Jabuti de Literatura em 1978.

 

O poema é do livro 'Terra de santa Cruz', Rio de Janeiro, 1981. La pintura es 'O Abraço II' del estadounidense Ron Hicks, 2018, Gallery 1261, Denver.

 

 

Please reload

24 expresidentes repudian la interve...

Como se não tivesse havido eleição e...

1/15
Please reload

Términos del Servicio | Política de Privacidad

CR| opn: