Términos del Servicio | Política de Privacidad

CR| opn:

O ano que se foi e o que deixou... um novo panorama político

08.01.2019

 

Acabou o ano de 2018 e a pergunta que naturalmente ocorre é a de como ele foi, ou, melhor ainda, qual o acontecimento mais notável de que ele foi testemunha.

 

E não há dúvida de que, sob esse aspecto, foram as eleições gerais que tivemos em outubro deste ano e que alteraram consideravelmente a paisagem política do país, seja no Poder Executivo, seja no Poder Legislativo.

 

Depois de quatorze anos de Governos do Partido dos Trabalhadores (PT), que conseguiram arrasar o país, tanto no plano econômico, como no político, e que haviam se seguido a oito anos de Governos do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), os dois, partidos da esquerda, aquele mais radical e este nem tanto, a população brasileira votou afinal de acordo com as suas convicções e com as crenças que lhe eram mais caras.

 

Uma população predominantemente cristã, conservadora, com valores contrários à dissolução dos costumes a que se assistiu nas últimas duas décadas, acordou finalmente do seu longo sono letárgico para votar naquele que, candidato à Presidência, soube encarná-las e defendê-las sem meios termos, como os outros, fato que o levou à inquestionável vitória.

 

Refiro-me ao Presidente eleito, Jair Bolsonaro que, filiado a uma agremiação política insignificante, o minúsculo Partido Social Liberal (PSL), sem dinheiro e sem tempo de televisão, vilipendiado pela mídia tradicional, tanto a nacional, como a internacional, mas, forte em redes sociais e no carisma da sua presença, em público, saudado entusiasticamente por multidões, aonde quer que fosse, ou aparecesse, resistiu a tudo isso e garantiu sua vitória, como verdadeiro fenômeno eleitoral.

 

E não só. Talvez por ter dado primazia a esses princípios, nas suas declarações, já como candidato, prometendo ademais combater a corrupção e a falta da segurança pública, bandeiras, aliás, pelas quais sempre lutou como Deputado Federal no Congresso Nacional, nos seus 27 anos da vida pública, identificou-se com os desejos da grande maioria da população brasileira, conservadora e portadora desses valores,  fato que lhe garantiu uma confortável, para não dizer esmagadora, vitória contra o adversário, o senhor Fernando Haddad, do PT.

 

Por outro lado, a população votou desta vez com grande rigor, varrendo do mapa do Congresso Nacional, não só os políticos contra os quais pesasse qualquer pecha de corrupção, mas também os que eram, por assim dizer, de carreira, que militavam há muitos anos na política, ainda que fossem insuspeitos.

 

Deste modo, houve uma renovação de 50% dos Deputados na Câmara Federal e de 85% dos Senadores na Câmara Alta, tendo sido o partido do Presidente eleito, o PSL, o segundo mais votado – com 52 Deputados e 4 Senadores – para aquelas Casas Legislativas, depois do PT. Ademais, terá a possibilidade de conquistar mais alguns adeptos, já se diz que serão mais 6 ou 8, por adesão ao partido permitida, em certo prazo, pela lei. Um partido nanico, de 20 anos de existência, e que em 2014 fizera apenas um deputado.

 

É evidente que tudo isso foi graças a Jair Bolsonaro que conseguiu eleger um governador pelo seu partido e mais dois ou três de outros partidos que lhe declararam adesão, durante a campanha eleitoral. Além disso, vários Deputados Federais e Estaduais do PSL tiveram votações recordes nos seus círculos eleitorais, apenas por serem da sigla do novo Presidente.

 

Fiel aos compromissos assumidos, durante a campanha, nomeou para o seu Ministério homens e mulheres da mais alta competência e qualificação, nas respectivas áreas, sem qualquer recurso a critérios políticos, propícios a atos de corrupção.

 

Sua investidura aconteceu no dia 1º de janeiro, no Congresso Nacional. São muitas as metas, grandes os desafios, mas, um trabalho incansável, com uma imaginação criadora posta a seu serviço, darão conta do recado. Parabéns senhor Presidente, e que Deus o proteja e o abençoe para que faça um governo que esta Nação e o seu povo merecem.

 

César Mata é advogado e analista político, mora em São Paulo, Brasil. Você poder ler seus artigos em 'Atualidades', seu blog pessoal.

 

Please reload

Anacleto: el hombre que enfrentó una...

Roubaram-nos a Federação

1/15
Please reload